sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Trick or treat a alegria pagã


É uma festa de origem irlandesa que ganhou popularidade dos nortes americanos e demais partes do mundo, principalmente das crianças.
Estudiosos de folclore acreditam que os costumes populares do Halloween, a noite sagrada exibem traços do Festival da Colheita, realizado pelos romanos em honra a Pamona, deusa das frutas, e também do Festival Druida de Samhain , o Senhor da Morte e Príncipe do mundo subterrâneo que, de acordo com a crença, reunia as almas dos que tinham morrido durante o ano para levá-los ao céu dos druidas neste exato dia. Para os druidas, Samhain era o fim do verão e o festival dos mortos. 31 de outubro marcam também o termino do ano céltico.
Acreditava-se que os espíritos dos mortos voltavam para visitar seus parentes à procura de calor e provisões. Os Druidas acendiam fogueiras no topo das colinas para guiar os espíritos às casas dos seus parentes e invocavam forcas sobrenaturais para acalmar os espíritos furiosos.
Segundo a lenda os espíritos furiosos raptavam crianças, destruíam plantações e matavam os animais das fazendas. Para evitar de tais tormentos acendiam-se fogueiras nos topos das colinas nas noites de Samhain para espantá-los com a luz. Os espíritos guardiões prisionavam os espíritos furiosos e levavam para a cidade espiritual para tratá-los.


Com o passar dos anos a festa do dia 31 de outubro tornou-se alegre e divertida, sem todos aqueles vestígios sombrios e tenebrosos da tradição céltica, tornando-se mais conhecida na América após a emigração escocesa em 1840. Alguns dos costumes trazidos pelos colonos foram mantidos, mas outros foram mudados a fim de que houvesse adaptação às novas maneiras de viver. Como exemplo temos as Jack-O-Lanterns que, feitas com nabos primitivamente, passaram a ser feitas com abóboras¹ morangas.



A formula Trick or Treat (doce ou travessura) também se originou na Irlanda, onde as crianças iam de casa em casa pedindo provisões para as comemorações do Halloween, em nome da deusa irlandesa Muck Olla. Esta tradição é comemorada pelos ingleses também e as crianças fantasiadas saem pedindo doces e balas.
Hoje em dia, principalmente nos United States of America, o Halloween² é lembrado com muitas festas e com muita alegria.
Algumas pessoas preferem vestir a rigor, com fantasias que enalteçam o mundo do medo e da fantasia. Fazem sair dos livros de fábulas os personagens adormecidos e incorporam tais personagens para intimidarem o povo com a presença dos vampiros, monstros, bruxas narigudas, malvadas e outros personagens do terror, da perversão e criam objetos que lembram morte. Nestas festas as pessoas usam máscaras e se vestem como fantasmas, bruxas, Conde Drácula, Frankstein, ou da maneira que achar mais engraçado ou horripilante.
As crianças saem às ruas fantasiadas, batendo de porta em porta, pedindo por doces dizendo: "Trick or Treat". Quem não as atendem pode ter uma surpresa surpeendente, pois elas podem lhe pregar alguma peça. Festas de Halloween sem crianças não estão completas. A elas estão reservadas as partes mais alegre e engraçada. Elas recebem doces se conseguirem fazer uma travessura engraçada.
No Brasil comemora no dia 31 de outubro dia das bruxas e o dia do Saci Pererê, o menino travesso, divertido e brincalhão³.
Portanto, o Halloween foi absorvido e aculturado por pessoas de diversos paises.



_____________

1 Abóbora: simboliza a fertilidade e a sabedoria

2 Halloween: Halloweed significa Santo e E’en significa Noite, logo traduzidos Noite Santa. Ao passar do tempo essas palavras foram ganhando novos significados a saber, All Hellows Eve significa Noite de todos os santos. A origem pagã tem a ver com a celebração celta chamada Samhain, que tinha como objetivo dar culto aos mortos. A invasão das Ilhas Britânicas pelos Romanos (46 A.C.) acabou mesclando a cultura latina com a celta, sendo que esta última acabou minguando com o tempo. Em fins do século II, com a evangelização desses territórios, a religião dos Celtas, chamada druidismo caiu no esquecimento na maioria das comunidades, mas a tradição manteve presente na cultura irlandesa, francesa e ingleses da Religião Antiga.
Mesmo diante das leis rígidas da igreja católica, a maioria dos católicos gostam e participam dessa tradição. O dia de todos os santos passou ser comemorado no dia 01 de novembro e no dia seguinte é comemorado dia dos mortos. Não fazem fogueiras, mas utilizam as chamas das velas para iluminar os caminhos para os espíritos do outro plano astral sejam guiados pela Luz Divina e outros rituais semelhantes aos druidas são usados nesse dia.
No México No dia 1º comemora-se o Dia dos Anjinhos, ou Dia dos Santos Inocentes, quando as crianças mortas antes do batismo são relembradas.
O Dia dos Mortos (El Dia de los Muertos), 2 de novembro, é bastante comemorado no México. As pessoas oferecem aos mortos aquilo que eles mais gostavam: pratos, bebidas, flores. Na véspera de Finados, família e amigos enfeitam os túmulos dos cemitérios e as pessoas comem, bebem e conversam, esperando a chegada dos mortos na madrugada.
Uma tradição bem popular são as caveiras doces, feitas com chocolate, marzipã e açúcar.
Na Tailândia existe o festival Phi Ta Khon, comemorado com música e desfiles de máscaras acompanhados pela imagem de Buda. Segundo a lenda, fantasmas e espíritos andam entre os homens. A festividade acontece no primeiro dia das festas budistas.

3 Saci Pererê: O saci passa todo tempo aprontando travessuras na matas e nas casas. Assusta viajantes, esconde objetos domésticos, emite ruídos, assusta cavalos e bois no pasto etc. Apesar das brincadeiras, não pratica atitudes com o objetivo de prejudicar alguém ou fazer o mal.
Diz o mito que ele se desloca dentro de redemoinhos de vento, e para captura-lo é necessário jogar uma peneira sobre ele. Após o feito, deve-se tirar o gorro e prender o saci dentro de uma garrafa. Somente desta forma ele irá obedecer seu “proprietário”.
Mas, de acordo com o mito, o saci não é voltado apenas para brincadeiras. Ele é um importante conhecedor da floresta. Ele controla e guarda os segredos e todos estes conhecimentos. Aqueles que penetram nas florestas em busca destas ervas, devem, de acordo com a mitologia, pedir sua autorização. Caso contrário, se transformará em mais uma vítima de suas travessuras. O Saci-Pererê é um dos personagens mais conhecidos do folclore brasileiro.
                                                                                                      Autora: Rainna Tammy
Fonte de Pesquisa

Memória & festa: VI Congresso da SBC XV - ciclo de debate em História. Organizadores: Fábio de Souza Lessa e Regina Bustamante. Rio de Janeiro: Mauad, 2005.

ROGERS, Nicolas. Halloween: foe pagan ritual to party nigh. 1 ed. New York: Oxford, 2003.

Todos os direitos reservados. Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar obras derivadas, nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão da autora. Lei 9610/98 direitos autorais do Brasil.