quinta-feira, 4 de junho de 2015

Toda criança tem o seu talento



Este documentário demonstra a pedagogia correta para lidar e compreender uma criança índigo.
Às vezes o nosso mundo é confuso e complexo para compreendê-lo, porém são talentosos. A família, a sociedade exclui por não compreender e os psiquiatra como solução medica calmante.
Diversas pessoas que tiveram dificuldade de ler e escrever destacam no mundo da arte, da ciência e trouxeram grande contribuição para o mundo.

                                                            Albert Einstein - 1947

Albert Einstein (1879 - 1955), célebre cientista, desenvolveu a teoria da relatividade geral e recebeu prêmio Nobel de Física em 1921. 

                                                                       Thomas Edison (1847 - 1931)
 
Thomas Alva Edison, norte americano empresário, inventor e cientista. Criou a lâmpada elétrica incandescente, a roda de borracha, a bateria de carro elétrico, a câmera de vídeo cinematográfica, o fonógrafo, a caneta de tatuagem, a caneta elétrica de estêncil, o microfone de carbono, a embalagem à vácuo, o gravador de voto eletrônico e a estrada de ferro eletromagnética.
                                                     Leonardo da Vinci 1452 - 1519 
Leonardo di Sor Piero da Vinci, italiano de múltiplo talento trouxe grande contribuição para o mundo como astrônomo, escultor, pintor, poeta, músico, inventor, matemático, físico, geógrafo, arquiteto. Criou embolso de um helicóptero, bobina de automóvel etc.

Walt Disney 1901 - 1966

Walt Elias Disney norte americano, produtor cinematográfico, cientista, animador, empreendedor e co-fundador da "The Walt Disney Company".  Criou o desenho animado que até hoje continua sucesso.

Pablo Picasso 1881 - 1973
 
Pablo Diego José Francisco de Paula Juan Nepomuceno Maria Cipriano de la Santíssima Trindad Ruiz y Picasso artista plástico de grande destaque.

Agatha Christie 1890- 1976
 
Agatha Mary Clarissa Christie, britânica, poetisa, escritora, contista que também teve dificuldade de ler e escrever destacou na Arte Literária.

Neil Diamond 1941

Neil Leslie Diamond, norte americano destacou na arte musical como cantor-compositor e recebeu diversos certificados de ouro e platina. Atuou no filme "The Jazz Singer".


Abhishek 1976

Abhishek Bachchan, indiano, ator de cinema, produtor e cantor, tem sido um dos atores cinematográfico que vem destacando, mas a sua rubrica é apenas rabiscos porque o seu cérebro não reconhece a escrita e a nossa linguagem. As letras e os números causam confusão mental. Provavelmente o seu cérebro só reconhece a escrita do seu mundo planetário.
O indivíduo índigo tem uma inteligência bem acima da média. Quando adulto, torna-se muito seletivo em seus relacionamentos. Na medida em que vai ficando mais experiente, vai ficando cada vez mais difícil explicar sua singularidade, e escolhe amigos e companheiros que o aceitam como é.
As crianças índigos foram catalogadas como portadoras de Transtorno do Deficit de Atenção e Hiperatividade. O tratamento dessas crianças consideradas hiperativas são feitas através de dosagem alta de drogas para sedar a sua imensa potencialidade[1].
Os pais, os profissionais da educação não estão sabendo lidar com tal situação e a medicina tem feito diagnóstico errado em relação o comportamento dessas crianças.
Essas crianças precisam de uma atenção especializado, amor, carinho, diálogo familiar de forma amigável, desenvolver várias atividades educativas, envolver nos trabalhos artísticos e se for preciso punir temporariamente, afastando do seu dia a dia o que mais gosta de fazer ou brincar.
Punição é diferente de castigo. Na punição, a pessoa responsável assume o papel e a responsabilidade de ajudar o desenvolvimento do outro, visando o bem deste, e não o seu próprio bem. A punição não deve ser desencadeada sob controle das emoções pessoais, mas, sim, do comportamento inadequado do outro. O castigo humilha, a punição ensina. A punição é exemplo de amor. Quem pune sofre pelo sofrimento (necessário) que produz no outro. Em reações emocionais, sofrimento ainda mais intenso e desviam a atenção da criança dos focos mais importantes que são: observar seu próprio comportamento inadequado e as consequências (aversivas, sim, mas amenas) que ele produziu. 
Punir não deveria envolver constrangimentos e dor desnecessária. Os pais deveriam estar ensinando, até mesmo quando punem. Não se justifica que os pais acrescentem quaisquer outros comportamentos, além daqueles que compõem o procedimento básico de punição negativa funcionalmente eficiente. Os pais devem atuar sob controle do comportamento inadequado do filho, não sob controle de suas preocupações, frustrações etc., pois neste caso estariam agredindo, não punindo. Quem pune sofre pelo sofrimento que produz no outro.

Autora: Rainna Tammy

Fonte de Pesquisa

[1] O Programa Prana - Evolução Agradável e Eficaz, p. 82 – 83.

Introdução à Psicologia, p. 179-183.

Psicologia Educacional, p. 173 – 178.