sábado, 17 de junho de 2017

Pais órfãos de filhos vivos

                                           
Os jovens são sonhadores e a maioria pensam em casar, ter estabilidade financeira e ter filhos. Mas a realidade é bem diferente. Num país capitalista precisa da força de trabalho da população.  Os trabalhadores precisam trabalhar dobrado para sobreviverem. Alguns conseguem oferecer um conforto material melhor para família, mas esquecem de oferecer atenção, carinho a família e esquece de auto amar, esquece do lazer, esquece de ser grato, esquece de Deus e lembra apenas dos momentos. Não tem tempo para ouvir o seu interior, não tem tempo ouvir e dar atenção aos filhos, mas conseguem ficar no Smartphone e no celular diariamente.
Se os pais ainda estão com aparência jovial e estabilizado financeiramente são lembrados porque ainda depende da mesada como complemento. Os pais idosos aposentados ou beneficiados com ajuda de custo do governo são obrigados a fazer empréstimo como complemento para sobreviver e os filhos acabam sugando parte do dinheiro. A partir do momento que os pais mergulham na dívida e não tem como ajudar os filhos e netos tornam invisíveis e esquecidos. Se os pais têm a sua casinha para morar os filhos e netos decidem colocar num asilo, alugar o imóvel, usufruir do aluguel ou tomar posse dos bens e vai morar no imóvel. 
Às vezes a briga por causa de bens materiais entre os filhos começam antes dos pais morrerem. A situação conflituosa familiar leva o idoso ou a idosa a depressão, reduz a imunidade, adquire diversas enfermidades por causa dos desgastes e desequilíbrio emocionais.

Dos crimes e das Penas (Lei 10.741/2003 – Estatuto do Idoso atualizado)
Concluiremos esse estudo com a citação de alguns dos crimes mais comuns segundo o ranking de violência contra idosos sendo mais de 60% dos casos por abuso financeiro, 42% dos casos sofre a violência física e outros tem os bens patrimoniais apossado pelos filhos. 
No Brasil as mulheres idosas que tornaram chefe de família e trabalhou fora são maiores vítimas de abandono. Aquele filho que desejou ter e oferecer um amor incondicional abandona os pais de forma fria e cruel. Os ancestrais e os pais que desencarnaram são esquecidos e eliminados da história familiar.
Sempre que visitei um lar de apoio ao idoso perguntei a eles: Do que eles estavam mais precisando no momento e surpreendi quando a maioria dizia: Gostaria estar no seu lar recebendo apoio da família. Eles precisam de alguém para conversar, de alguém que possa ouvir a sua história, precisa de receber um abraço, de um sorriso e de carinho. O idoso está sempre esperando pela visita e pelo abraço dos seus filhos. Os dias vão passando e seus filhos não aparecem porque estão ocupados demais para visitá-los, sem paciência para caminhar juntos, sem tempo para trocar ideias e ver os pais com ideias ultrapassados. A pessoa colhe o que planta.
Já visitou seus pais? Já abraçou o seu pai e a sua mãe hoje? Já ofereceu um dia para conversar com eles? Já agradeceu a Deus pela existência dos seus pais? Só você existe hoje porque eles permitiram e deram muito amor. Seja gratos aos seus país biológicos ou pais do coração.
As pessoas têm medo de envelhecer porque já sabem o que pode acontecer com um idoso ou uma idosa. Um idoso não tem liberdade, um idoso é desrespeitado, um idoso é um intruso na família, um idoso não é valorizado pela sociedade. No Brasil uma pessoa acima de 60 anos de idade é considerada idoso, inválido que anda curvado com uma bengala com algumas prioridades mínimas conquistadas na sacola.


Somente, uma conscientização geral poderá trazer mudança e um novo olhar nas pessoas idosas. Toda pessoa idosa deve ter o direito de terminar o seu ciclo de vida com dignidade, amor, respeito e alegria no coração.






Autora: Rainna Tammy 

Denuncie - Disk 100 ou 190

Centro de Apoio a Vida (CVV) - Ligue 141

Idosos órfãos de filhos – 17/11/2016: https://youtu.be/6dewMESBGMI