sábado, 28 de janeiro de 2017

Escravidão tecnológica dominando o mundo



Autofobia/monofobia é uma doença psicológico e psíquico da Nova Era. O medo de ficar sem comunicação virtual, medo de ficar incomunicável com personagens dos jogos eletrônicos, consegue inúmero de amigos virtuais, mas sempre está sozinho. A tecnologia oferece prazer e satisfação momentâneo, mas a consequência ao ser humano é gravíssima porque tornou escravo dos produtos eletrônicos, sem controle de livrar dessa mania do celular, tablete, notebook, jogos eletrônicos, novelas, rede sociais acabam perdendo tempo ficando horas utilizando esse instrumento de forma errônea.
O uso constante de dispositivos eletrônicos interfere na vida das pessoas de forma geral. Lares tem sido desfeitos, as crianças são esquecidas pelos pais, crianças tem deixado de brincar, aumentou o isolamento familiar, acidentes com mortes vem ocorrendo todos os dias, as bibliotecas sem leitores têm tornado museu esquecido, o lazer tornou coisa do passado, a pesquisa e a leitura de livros de Autoconhecimento foi abandonado. O ser humano passou usar celular para falar com Deus, médiuns em transe usam celular para tratar de diversos assuntos.  Se essa moda pegar haverá médium que vai usar celular para comunicar com o mundo astral e alguns guias espirituais vão usar celular no momento da consulta. Os clientes terão que ter paciência, esperar o guia finalizar a conversa para ser atendido. Imagine se os líderes religiosos dissessem: Vamos orar meus irmãos, peguem os seus celulares para falar com Deus. Todos pegassem o celular e falassem ao mesmo tempo. Seria uma situação constrangedora, pois cada indivíduo iria falar mais alto e geraria uma poluição sonora ocasionando perca da audição parcial ou total.









Autofobia, síndrome que a ameaça ou sabota as relações familiar e profissional ferindo violentamente fisicamente, moralmente, emocionalmente e mentalmente. Também pode manifestar afastamento do convívio familiar, perde o interesse de organizar as coisas, alimentar pouco ou alimentar convulsivamente, pode levar a uma depressão profunda. 
O ser humano pode gozar das tecnologias que vem surgindo no mundo globalizado com sabedoria e com cautela.
Nunca deixe um marketing de anúncios e propagandas influenciar o seu emocional porque acabará comprando por impulso.
Programe um horário para verificar as mensagens do celular, para ficar nas redes sociais, para ficar na net, para assistir programa de televisão, para diálogo com a família, para ouvir as pessoas que estão próximas, para curtir a natureza, ser feliz e alegre.
Guarda o celular na gaveta por algumas horas para estar com a família. Presentei os seus filhos com livros e brinquedos construtivos com atividades educativas, programe horário dos seus filhos na internet, procure brincar e ouvir os seus filhos.
Mas se caso for extremo que não consegue ficar nem um minuto sem o celular ou outros aparelhos tecnológicos de comunicação deverá procurar urgentemente um psiquiatra da sua confiança para de orientar, encontrar estratégia para se libertar dos aparelhos de comunicação e se for preciso irá receitar um medicamento que possa ajudar a superar. O especialista poderá indicar um psicólogo a fim de associar o tratamento com terapias individual e em grupo para reprogramar e disciplinar o cérebro. O professor de Educação Física irá trabalhar o postura adquerida durante a escravidão tecnológica. A coluna é a parte mais afetado, seguida vem a má circulação sanguínea e depois a visão. O tratamento não fica barato e quem depende do SUS (Sistema Única de Saúde Pública do Brasil) poderá aguardar um bom tempo para receber o tratamento.
Você que é empresário contataria um funcionário que é escravo da tecnologia? Caso a pessoa fosse contratada será que haveria produção, rendimento no trabalho e atendimento vip dos clientes? O empresário pode adotar uma regra do não uso do celular durante o trabalho, mas nada vale porque o celular continuará presente e funcionando na mente. Nessa viagem tecnológico mental o empregado irá vacilar constantemente, a percepção e a criatividade  reduzem. A ausência do celular pode ocasionar desiquilíbrio emocional e não consegue ter foco. Ao pegar o celular começa a viagem virtual e não consegue ver as excelentes oportunidades, torna cego e mudo com as pessoas que estão próximas.Vive num mundo solitário e ilusório.
Você namoraria ou casaria com uma pessoa escrava do celular? Se ambos forem escravos do celular o casamento logo acabaria e os filhos frutos desse relacionamento ficariam órfãos de pais vivos.
Alguém contraria um advogado para defender a sua causa judicial se fosse escrava do celular? Caso contratar poderá ter certeza que já perdeu a causa.



Autora: Rainna Tammy

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Consciência Negra?


Eu, como historiadora até o presente momento não entendi por que do título ‘Consciência Negra’. Será que afro brasileiro e os descendentes não tem Consciência brilhante? O preconceito começa na escolha de um título pejorativo que lembra opressão, dor, sofrimento, desigualdade social, escravidão do povo africano e seus descendentes.
A filosofia europeia acreditava que era raça superior, linhagem do povo primordial ariana e o negro africano e seus descendentes eram vistos como um povo de raça inferior, sem cultura, de memória curta, memória fraca, burro, fedorento, urubu, alma negra, consciência negra, ovelha negra, fantasma negra, coisa ruim, maldição negra, peste negra
Os objetos de cor preta tornaram negro nas ideologias europeia. Tudo que é melancólico, doloroso, triste era vista nuvem negra, uma família enlutada vestia de preto como símbolo de período negro que estava passando e até a varíola recebeu o nome de peste negra. A desvalorização da raça foi enorme a ponto de considerar como objeto. Quando um negro fugisse ou morresse fazia falta apenas no trabalhoO feitor exigia trabalho dobrado para substituir aquele preso teimoso e rebelde ou aquele que não suportou a crueldade. Os iluministas e os revolucionários radicais africanos contribuíram para fim da escravatura no Brasil.
O povo afro e seus descendentes devem ser honrado e glorificado pela luta de igualdade social com títulos de Militante Afro-brasileira da Nova Era.
Será que a cota nas faculdades dos Afro brasileiro e seus descendentes seria uma reivindicação justa? Onde estão os direitos de igualdade social? Ter a pele escura com mais melanina não significa incapacidade do QI e de consciência. Também não significa comodismo com tal situação, mas ser uma ativista ativa em pró de mundo melhor.
A conscientização de nossas raízes africanas no Brasil deve começar na educação familiar, religiosa e com encontros de conscientização social. A criança desde dos primeiros meses de vida deve conhecer a verdadeira história, aceitar a sua identidade, valorizar a cultura de suas raízes. Apesar, do grupo escolher um título pejorativo tem alcançado várias conquistas. O desafio e a superação de um povo que foi massacrado pelos grupos de dominantes (igrejas e família tradicional europeia) e sua história ocultas por muitos anos.


A sociedade dominante pregava que o povo africano era uma raça inferior, sem história, com QI inferior, irracional, descendente do macaco, povo maldito e tinha que ser batizado para não espalhar a maldição. Também tinha que fazer trabalho escravo a fim de purificar a alma preta e tornar católico sem entrar nas igrejas dos ricos. As tradições impostas foram como estupro de um povo, eliminando a sua história e a sua cultura.


A união do grupo ativista afro moderado na divulgação da cultura e na conscientização tem sido uma luta árduo e desafiadora. Algumas pessoas resistem essa mudança, mas no Brasil contém mais de 70% de pessoas de afro descendentes. Por esse motivo deve manter vivo a verdadeira história e a cultura africana. Como marco histórico de heroísmo temos o ativista Zumbi dos Palmares e outros heróis que estão ocultos que combateram a escravidão e tráfico negreiro.


A princesa Izabel foi forçada pelos ingleses a assinar um documento finalizando o tráfico negreiro e abolir a escravidão no Brasil (Lei Áurea  – 13/05/1888) para que as transações comerciais entre os países permanecessem. Mas a escravidão no Brasil permaneceu por vários anos mesmos com o fim império no Brasil, sendo que o Estado de Mato Grosso foi o último a abolir a escravidão.
O negro lutava para ser reconhecida como pessoa e nunca como objeto. Povo com grande história, povo que tinha um credo religioso como outros povos também. O grito da liberdade começou com a fuga para o quilombo, quilombola e resistindo a injustiça, crueldade dos dominantes com luta de ataque e defesa da capoeira. A persistência do culto aos deuses africanos e manter a sua cultura viva foram um dos focos dos ativistas afros radicais.


O Brasil quando foi invadida pelos espanhóis e mais tarde pelos portugueses que ao explorar a riqueza do ecossistema, exterminaram milhares de vidas de um povo nativo.  Para fazer trabalho pesado e servir de escudos humanos trouxeram diversos negros africanos de tribinagem diferenciados para trabalhar como escravo. Já que o primeiro povo a ser escravizado foram os nativos indígenas sobreviventes dos massacres se rebelaram contra a escravidão suicidando e com ataques.

 

Os europeus classificaram de povo selvagem e preguiçoso. A história do Brasil sempre foi mal contada mostrando heroísmo do povo europeu por descobrir terras que já eram habitadas. A cota de vagas nas faculdades para os afros não pagaria o massacre que suas as raízes sofreram e não apagaria a dor, os danos morais...
As Leis Constitucionais Brasileira devem ser justas e iguais para todos os cidadãos. Independente de credo religioso, etnia e posição social. As Leis devem ser respeitada e aplicada de forma igualitária. Um país miscigenado e aculturado tem que haver tolerância, respeito e o indivíduo deve aprender viver com as diferenças sociais.






Autora: Rainna Tammy

sábado, 19 de novembro de 2016

No ritmo do Berimbau


Capoeira e uma dança associada com exercício de luta e defesa vindo com negros africanos. Essa atividade era realizada escondido por grupos de escravos sob som de um tambor, de um berimbau de barriga, de um caxixi, reco-reco, pandeiro, cantos e bater palma num ritmo dos instrumentos musicais. Um esporte de origem africano foi visto pelo povo europeu como uma ameaça de morte para os proprietários de terras, para os jagunços e capitão da mata. Os escravos foram aperfeiçoaram o esporte tornando uma atividade dança, ataque e de defesa pessoal com ginga. Em seu desenvolvimento, a capoeira tomou uma forma de revide, em resposta às ameaças e agressões físicas sofridas pelos escravos. Como arma de combate, ela utiliza os braços, as pernas, as mãos, os pés, a cabeça, os cotovelos, os joelhos e os ombros. Dos grupos de capoeira participam lutadores, com golpes de ataque e defesa, e instrumentistas.         
A capoeira foi um esporte que manteve vivo nos quilombos, cultura autentica do povo afro brasileiro. Foi proibida no Brasil por muitos anos, mas aos poucos o esporte foi reaparecendo ganhando estilo moderno, elegância, ousadia e liberdade. Espetáculo sublime, quando estão em harmonia o toque do berimbau, os demais instrumentos, a voz do mestre, o coro polifônico, a dança dos dois guerreiros e a emoção do perigo real, sempre à espreita, à espera do momento certo, o bote fatal. Para fazer parte de um grupo de capoeira é preciso ter disciplina, ser sociável, trabalhar em equipe etc.






Autora: Rainna Tammy

Cordão De Ouro (Capoeira Movie) – Filme dublado: https://youtu.be/89-pkUx2cbQ

Capoeira-Esporte Sangrento-Filme completo: https://youtu.be/I40pJLXFA8E

Quilombo completo Dublado (1984): https://youtu.be/v7CYGqJsFvU


sábado, 29 de outubro de 2016

Caça Fantasma



Dia 31 de outubro é o Ano Novo dos celtas. Para que fosse um ano próspero tinham que vestir de farrapos, usar máscaras para espantarem os fantasmas presos no mundo material.


Baseados nas histórias dos nossos ancestrais a curiosidade e a crença na existência de fantasma nasceram os caçadores de fantasmas para provar existência da vida após a morte do corpo bioplasmático. Os arqueólogos buscam civilizações antigas e a sua história enquanto, que os paranormais usam a percepção e kits de ferramentas para medir o campo eletromagnético como complemento no seu trabalho e detectar fenômenos sobrenaturais. Os aparelhos detector radiônico eletromagnético e Ghost Meter Pro Medidor Emf.




A física quântica tem desenvolvido estudos e pesquisas extraordinárias sobre fenômenos paranormais e vem comprovando que existe vida após a morte do corpo físico. Somos energias e essas energias permanecem presente no ambiente que o indivíduo morou, viveu e com s seus entes queridos.
Desde dos tempos primordiais, tais fenômenos paranormais têm causado curiosidade e mistério no mundo dos vivos.
Na suméria, as pessoas de personalidades fortes, desobedientes aos pais, assassinos e homicidas após a morte eram sepultados bem distantes da família e da sociedade. Colocavam enormes pedras na sepultura para manterem os espíritos presos e não perturbar os vivos. As pessoas de coração generoso eram sepultadas nos porões da família para manterem juntos com os vivos como protetor. Outras culturas cremavam os corpos das pessoas que foram más, para que nenhumas espécies de animais alimentassem daquele corpo imundo. 
A energia de espíritos inferiores é gelada, sombrio e tenebroso. Por esse motivo, as pessoas antes de iniciar um Novo Ano faziam rituais para espantar as energias maléficas, atrair energias inovadas e boas. Para isso, cada família tinha que zelar pelo seu ancestral fazendo oferendas: alimentos, doces, bebidas, orações, luz, flores e água para acalmar aqueles espíritos aflitos. Acreditavam que acalmando as almas desencarnadas aflitas, o Ano Novo seria repleto de paz, alegria e prosperidade.


No Brasil, a sociedade tem buscado diversas estratégias para capturar inúmeros fantasmas políticos que vem causando pânico social, esvaziando o cofre público e ocasionando desemprego em diversos setores profissionais. Qual ferramenta usaria no caça fantasma no Brasil?

Autora: Rainna Tammy



quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Um gato pode curar uma pessoa




Os egípcios sabiam dos poderes psíquicos e psicológicos de um gato. Eles entendiam a linguagem, o comportando e a importância de convier com o felino. O gato trabalha a transmutação de energia, informa o órgão que está enfermo e pode curar uma alma enferma tanto psíquica, psicológico e física. Um gato é um grande captador e doador de energia magnética por possuir grande quantidade de quartzo na glândula pineal que age como um raio X computadorizado mais avançado do planeta.
Urinar em vários locais da casa é uma formar de chamar atenção do dono por demonstrar a lágrima interna que há no interior e precisa ser trabalhada. O gato sociável, veloz, ágil e equilibrista, gosta de estar acima do seu dono para ver as coisas de vários ângulos.
A alergia é algo interno que a mente usa para despertar atenção que deve ser trabalhado, rejeição, mágoa de alguém ou lembranças negativas guardada no subconsciente e precisa ser eliminada. Pessoas que têm alergia a gatos são pessoas que têm dificuldade de deixar o amor entrar em suas vidas. Os egípcios tinham conhecimento sobre a importância de um gato num lar. O felino é um excelente transmutador de energia, consegue equilibrar e trazer de voltar a harmoniosamente com o seu eu. Mas a pessoa também tem que contribuir para esse bem-estar.


A deusa egípcia Bastet foi muito cultuada como poderosa, inteligente, intuitiva, clarividente e misteriosa. Ela falava, interpretava linguagem corporal e comportamental de um gato. O olhar da deusa Bastet era encantador e magnetizador. Os gatos foram grandes caçadores de ratos, contribuidores da natureza para limpar o ambiente e espantar doenças.


Autora: Rainna Tammy

Bibliografia:

SMITH, Penelope. Linguagem Animal: comunicação Interespécies. - São Paulo: Mercuryo, 2004.m

quarta-feira, 27 de julho de 2016

As preciosas e belas Bonecas Negras




As bonecas negras chegaram no mercado e estão encantando os olhos dos consumidores. Elas são marco de uma Nova Era. Em cada lar que ela chega ela leva a sua beleza preciosa. É uma forma de reduzir o preconceito contra a pele negra. Uma pessoa pode ter uma pele negra, mas poderá ter um espírito iluminado, puro, branco ou colorido. Se todos fôssemos iguais não haveria beleza no mundo. É o diferente que nos encantam com a sua magia. 
Escolha a sua e faça uma coleção de bonecas...





























Rainna Tammy




sábado, 2 de julho de 2016

Constelação Familiar na Nova Era



A Constelação Familiar é uma abordagem terapêutica cientificamente comprovada e desenvolvida pelo psicoterapeuta e cientista Bert Hellingher através da qual é possível identificar, solucionar problemas e conflitos internos de cada indivíduo e da sua família.
O desalinhamento energético é conhecido como Maldição Familiar devido fato vir manifestar ou ser repetido por alguém da família.  Mas psicoterapeuta alemão Bert Hellinger após pesquisar tal fato comprovou que não é nenhuma maldição hereditária, porém o desequilíbrio energético presente no genes. Herdamos através dos nossos pais e ancestrais toda a carga morfogenética (morfo=forma) e não damos conta dos padrões, das crenças e até mesmo das repetições de estórias dentro da nossa família.
No mundo contemporâneo globalizado há grande desafio na sociedade família. O patriarcalismo tem o Sol, representando o homem como chefe da família, a Lua, o satélite natural da Terra representando a mãe, os filhos representam os Planetas, os vizinhos, colegas e parentes representam Asteroides.  Essa analogia simbolizam os valores e a base familiar
Os pais precisam trabalharem cada vez mais para sobreviverem e os filhos mantém distanciados do afeto, da atenção e do diálogo. A mãe esgotada com muitos afazeres fora do lar, aparece a noite quando o Sol se pôs e os seus filhos estão dormindo. Ninguém tem tempo, ninguém tem paciência, nem atitude para refletir sobre tal fato.
Para suprir tal ausência, os pais doam presentes e liberdade desenfreada. Isso tem desencadeado crise e decadência na sociedade familiar. Os comportamentos desenfreados, os conflitos, os transtorno de conduta e o sistema capitalista contribui para uma situação caótica familiar.




O ser deixou de ser humano e tornou máquina do prazer ilusório. A nuvem escura esconde o brilho do Sol, a eclipse lunar aos poucos encobre a beleza dos céus e as estrelas aos poucos estão morrendo. A constelação familiar tem sido algo preocupante para um mundo futuro.
O psicoterapeuta alemão Bert Hellinger criou técnica que venha despertar a atenção da família e tratar tais conflitos.
O indivíduo poderá herdar genes de enfermidade psicossomática, vícios, manias, disfunção sexual, distúrbio psicológico, separação conjugal, perturbação mental, gaguez, insônia, transtorno de conduta e outros valores dos seus antepassados. 


Um filósofo e Psicoterapêutico criou técnica capaz de quebrar os círculos viciosos. Essa técnica pode ser individual ou em grupo a fim de disciplinar o ego. Essa técnica terapêutica conduzirá a um novo caminho de mudança interior e de superação após a investigação histórico familiar.
A Constelação Sistemático Familiar é um método psicoterapêutico recente, com abordagem sistêmica não empirista, ou subjetiva, desenvolvido pelo alemão Bert para alinhar pensamento  e sentimento.
O trabalho de constelação familiar é uma oportunidade de identificarmos de forma consciente o que está acontecendo com o sistema familiar, podendo assim resolver os conflitos a partir da escolha interna de cada um.

Autora: Rainna Tammy
________________

HELLINGER, Bert; HOVEL-Verlag, Gabriele Ten. Constelação familiares: o reconhecimento das ordens do amor. - [Tradução: Eloisa Giancoli Tironi/Tsuyuko Jinno-Spelter] - São Paulo: Cultrix, 2001, p. 12 - 76.

BACO, Marc. As facetas das constelações familiares.- [Tradução: Susana da Silva Rodrigues], 2016. https://books.google.com.br/books?isbn=1507138008




quarta-feira, 22 de junho de 2016

Bhutan, o país da felicidade




O Bhutan está encravado entre a China e a Índia e tem cerca de 700 mil habitantes aproximadamente. É um pequeno e fechado reino encantado localizado nos Himlayas orientais, conhecido também como “Terra do Dragão” e sua capital é a bela cidade de Thimphu, certamente o lugar mais tranquilo do mundo. O ninho da tigresa é um local místico-esotérico e histórico que está situada aproximadamente 3.300 m de atitude, acima do nível do mar, o nascimento do principal mosteiro tibetano de Bhutan. 


Thimphu é um lugar de gente iluminada, tranquila, alegre, simples e feliz.
Todos vestem um tipo de uniforme. Homens usam ‘gho’, um tecido até o joelho com uma faixa na cintura, como uma túnica. As mulheres usam ‘Kira’, pano longo e colorido até o pé e blusas de seda coloridas por baixo.
Os Butaneses acreditam que mente fala e corpo têm de estar em harmonia. Eles cultuam o budismo Mahayana, que tem garantia Constitucional no país. Essa é a herança espiritual que o povo deve passar para as próximas gerações, pregando a paz, a compaixão e a não-violência. O chefe religioso do Reino, o Je Khenpo, goza de uma importância quase idêntica à do rei, sendo também respeitadíssimo pela população.


A grande maioria dos butaneses seguem o Budismo (80%), com exceção dos habitantes do sul, de origem nepalesa Bhasa (newars), que seguem o hinduísmo tântrico e o budismo Vajrayana (20%). O budismo foi introduzido no país no século II d.C, mas só se estabeleceu como religião dominante no século VII com a visita de Padmasambava, o famoso mestre tântrico indiano.
As Newars são Tântricos, ou seja, acredita que a união de poderes masculinos e femininos move o universo. Neste contexto eles associaram o Hinduísmo Tântrico e o Budismo Vajrayana como religião nativa dos povo Nepal Bhasa. Eles são os habitantes históricos da Vale Katmandu e seus arredores em Nepal. Os Newars são considerados como um exemplo de uma comunidade com uma relíquia de identidade, casta e heterogeneidade religiosa.
As Newars tem características física e filosofia religiosas semelhante dos butaneses, o que difere é a vestimenta.



A cultura butanesa predomina a poligamia e acreditam e algumas superstições que estão presentes nos seus dia a dia. Pinturas grandes na entrada das casas ou esculturas de animais totem como protetor, pimenta vermelha pendurada na frente da casa espantar energia negativa e traz alegria, símbolos e desenho de falo em atividade para atrair boa sorte e afastar maus espíritos.



O rei Jigme Singye, educado na Inglaterra, tomou uma decisão nada típica entre monarcas e ditadores: abriu mão do poder absoluto, delegando poderes executivos ao seu Conselho de Ministros. Mais: o parlamento butanês ganhou o direito de pedir a cabeça do rei – não no sentido literal – caso essa seja a vontade de pelo menos dois terços dos membros.
O PIB ganhou um título de nobreza bastante interessante "Felicidade Interna Bruta da nação". O rei budista é adorado, o homem mais sábio e bonitão. Todos têm confiança absoluta de que tudo o que ele faz é pela felicidade do povo.



Aos 17 anos de idade, o rei Sua Majestade Jigme Singye Wangchuck, inovou a política do seu país. Este reino nos Himalaias é famoso por sua inovadora política de 'Felicidade Interna Bruta (FIB)'. É uma terra onde a satisfação impera e a tristeza não ganha visto de entrada. O rei senta num trono com encosto Dharmachacra/Roda da Lei, na sua coroa está presente o Falo, foto do buda, do dragão e as cores vibrantes que trabalha a energia da harmonia.


Autora: Rainna Tammy
____________________

Reino do Butão: https://youtu.be/hphuSTkq2lU

Cultura Butanesa: https://youtu.be/WO9_50adGGU

Crença exótica: https://youtu.be/HMsSfjQuR1w

Tradição milenar - TV escola: https://youtu.be/hphuSTkq2lU

Globo Reporte – Glória Maria: https://youtu.be/9MYh9FIJPC4

Saudação butanês: https://youtu.be/tDpCDG9oZj4

Celebração de HH Dalai Lama: https://youtu.be/tDpCDG9oZj4