quarta-feira, 16 de agosto de 2017

A ira da natureza: Salve quem puder


A humanidade não deve entrar em pânico, não acreditar nas profecias que data mês e ano do Apocalipse porque até o presente momento nenhum vidente, nenhum profeta ou intelectual astrônomo acertou tal data e nem irá acertar. O Cosmo é tão complexo quanto um cérebro humano. O ser humano nem conhece a sua verdadeira origem. Como conhecerá os mundos das estrelas? O conhecimento absoluta sobre os planetas e outros corpos celestiais ainda não aconteceram.
A queda de Asteroides, cometas e vento magnético/vento solar sempre aconteceram desde antes da humanidade e continuaram ocorrendo tais fenômenos naturais. É claro as frequências serão maiores porque o ser humano tem desrespeitado a Mãe-natureza. O ecossistema foi praticamente destruído pelo homem e a poluição tomou conta da atmosfera. As ações agressivas têm contribuindo para a extinção da própria espécie antecipadamente.
O planeta pede socorro reagindo para despertar a consciência.



Tudo que é criado tem prazo para expirar, nada é permanente. Ainda não haverá a extinção humana na Terra, mas poderá acontecer tragédia de grande porção em várias partes do mundo. Estes acontecimentos apocalipses têm pausa, não ocorrem tudo na mesma hora de forma global, é, gradativo, porém assustador.


É castigo de Deus? É o sinal do messias? É Jesus voltando? Ele já cumpriu a sua missão terrena. Não tem necessidade de experimentar uma nova reencarnação, novos desafios da Terra e saiba que não é castigo de Deus. É colheita karmica dos seres humanos.  
O arrebatamento para outro planeta semelhante a Terra vai ocorrer por volta de 2023 para o Planeta Marte e mais tarde para outros Planetas. Assim como o ser humano veio de outro Planeta, agora retorna aos poucos para os mundos Planetários. Por ser uma viagem muito caro, poucos conseguiram ser incluído nessa viagem, apenas mil candidatos foram pré-selecionados. A Terra é a nossa morada temporária.
Temos que conscientizar que o nosso espírito não morre, o que acaba é o corpo biológico, mas temos chance de renascer e viver na Terra novamente.
Estamos na Era Karmíca onde o ser humano vai colher o que plantou, poucos sobrevirão a ira da Terra. Mudanças geológicos, climática vão ocorrerem, dentro de um tempo necessário.
Após tais acontecimentos as pessoas vão ter grandes desafios para sobreviver, superar, reconstruir o Planeta e atingir uma nova consciência. A natureza encarregará de embelezar a Terra.
Durante a reconstrução terrena os Anunnakis, Aliens e Óvnis contribuirão com seres humanos para que a Terra torne um Paraíso de paz e harmonia por longos tempos.



Autora: Rainna Tammy



sábado, 17 de junho de 2017

Pais órfãos de filhos vivos

                                           
Os jovens são sonhadores e a maioria pensam em casar, ter estabilidade financeira e ter filhos. Mas a realidade é bem diferente. Num país capitalista precisa da força de trabalho da população.  Os trabalhadores precisam trabalhar dobrado para sobreviverem. Alguns conseguem oferecer um conforto material melhor para família, mas esquecem de oferecer atenção, carinho a família e esquece de auto amar, esquece do lazer, esquece de ser grato, esquece de Deus e lembra apenas dos momentos. Não tem tempo para ouvir o seu interior, não tem tempo ouvir e dar atenção aos filhos, mas conseguem ficar no Smartphone e no celular diariamente.
Se os pais ainda estão com aparência jovial e estabilizado financeiramente são lembrados porque ainda depende da mesada como complemento. Os pais idosos aposentados ou beneficiados com ajuda de custo do governo são obrigados a fazer empréstimo como complemento para sobreviver e os filhos acabam sugando parte do dinheiro. A partir do momento que os pais mergulham na dívida e não tem como ajudar os filhos e netos tornam invisíveis e esquecidos. Se os pais têm a sua casinha para morar os filhos e netos decidem colocar num asilo, alugar o imóvel, usufruir do aluguel ou tomar posse dos bens e vai morar no imóvel. 
Às vezes a briga por causa de bens materiais entre os filhos começam antes dos pais morrerem. A situação conflituosa familiar leva o idoso ou a idosa a depressão, reduz a imunidade, adquire diversas enfermidades por causa dos desgastes e desequilíbrio emocionais.

Dos crimes e das Penas (Lei 10.741/2003 – Estatuto do Idoso atualizado)
Concluiremos esse estudo com a citação de alguns dos crimes mais comuns segundo o ranking de violência contra idosos sendo mais de 60% dos casos por abuso financeiro, 42% dos casos sofre a violência física e outros tem os bens patrimoniais apossado pelos filhos. 
No Brasil as mulheres idosas que tornaram chefe de família e trabalhou fora são maiores vítimas de abandono. Aquele filho que desejou ter e oferecer um amor incondicional abandona os pais de forma fria e cruel. Os ancestrais e os pais que desencarnaram são esquecidos e eliminados da história familiar.
Sempre que visitei um lar de apoio ao idoso perguntei a eles: Do que eles estavam mais precisando no momento e surpreendi quando a maioria dizia: Gostaria estar no seu lar recebendo apoio da família. Eles precisam de alguém para conversar, de alguém que possa ouvir a sua história, precisa de receber um abraço, de um sorriso e de carinho. O idoso está sempre esperando pela visita e pelo abraço dos seus filhos. Os dias vão passando e seus filhos não aparecem porque estão ocupados demais para visitá-los, sem paciência para caminhar juntos, sem tempo para trocar ideias e ver os pais com ideias ultrapassados. A pessoa colhe o que planta.
Já visitou seus pais? Já abraçou o seu pai e a sua mãe hoje? Já ofereceu um dia para conversar com eles? Já agradeceu a Deus pela existência dos seus pais? Só você existe hoje porque eles permitiram e deram muito amor. Seja gratos aos seus país biológicos ou pais do coração.
As pessoas têm medo de envelhecer porque já sabem o que pode acontecer com um idoso ou uma idosa. Um idoso não tem liberdade, um idoso é desrespeitado, um idoso é um intruso na família, um idoso não é valorizado pela sociedade. No Brasil uma pessoa acima de 60 anos de idade é considerada idoso, inválido que anda curvado com uma bengala com algumas prioridades mínimas conquistadas na sacola.


Somente, uma conscientização geral poderá trazer mudança e um novo olhar nas pessoas idosas. Toda pessoa idosa deve ter o direito de terminar o seu ciclo de vida com dignidade, amor, respeito e alegria no coração.






Autora: Rainna Tammy 

Denuncie - Disk 100 ou 190

Centro de Apoio a Vida (CVV) - Ligue 141

Idosos órfãos de filhos – 17/11/2016: https://youtu.be/6dewMESBGMI

sábado, 28 de janeiro de 2017

Escravidão tecnológica dominando o mundo



Autofobia/monofobia é uma doença psicológico e psíquico da Nova Era. O medo de ficar sem comunicação virtual, medo de ficar incomunicável com personagens dos jogos eletrônicos, consegue inúmero de amigos virtuais, mas sempre está sozinho. A tecnologia oferece prazer e satisfação momentâneo, mas a consequência ao ser humano é gravíssima porque tornou escravo dos produtos eletrônicos, sem controle de livrar dessa mania do celular, tablete, notebook, jogos eletrônicos, novelas, rede sociais acabam perdendo tempo ficando horas utilizando esse instrumento de forma errônea.
O uso constante de dispositivos eletrônicos interfere na vida das pessoas de forma geral. Lares tem sido desfeitos, as crianças são esquecidas pelos pais, crianças tem deixado de brincar, aumentou o isolamento familiar, acidentes com mortes vem ocorrendo todos os dias, as bibliotecas sem leitores têm tornado museu esquecido, o lazer tornou coisa do passado, a pesquisa e a leitura de livros de Autoconhecimento foi abandonado. O ser humano passou usar celular para falar com Deus, médiuns em transe usam celular para tratar de diversos assuntos.  Se essa moda pegar haverá médium que vai usar celular para comunicar com o mundo astral e alguns guias espirituais vão usar celular no momento da consulta. Os clientes terão que ter paciência, esperar o guia finalizar a conversa para ser atendido. Imagine se os líderes religiosos dissessem: Vamos orar meus irmãos, peguem os seus celulares para falar com Deus. Todos pegassem o celular e falassem ao mesmo tempo. Seria uma situação constrangedora, pois cada indivíduo iria falar mais alto e geraria uma poluição sonora ocasionando perca da audição parcial ou total.









Autofobia, síndrome que a ameaça ou sabota as relações familiar e profissional ferindo violentamente fisicamente, moralmente, emocionalmente e mentalmente. Também pode manifestar afastamento do convívio familiar, perde o interesse de organizar as coisas, alimentar pouco ou alimentar convulsivamente, pode levar a uma depressão profunda. 
O ser humano pode gozar das tecnologias que vem surgindo no mundo globalizado com sabedoria e com cautela.
Nunca deixe um marketing de anúncios e propagandas influenciar o seu emocional porque acabará comprando por impulso.
Programe um horário para verificar as mensagens do celular, para ficar nas redes sociais, para ficar na net, para assistir programa de televisão, para diálogo com a família, para ouvir as pessoas que estão próximas, para curtir a natureza, ser feliz e alegre.
Guarda o celular na gaveta por algumas horas para estar com a família. Presentei os seus filhos com livros e brinquedos construtivos com atividades educativas, programe horário dos seus filhos na internet, procure brincar e ouvir os seus filhos.
Mas se caso for extremo que não consegue ficar nem um minuto sem o celular ou outros aparelhos tecnológicos de comunicação deverá procurar urgentemente um psiquiatra da sua confiança para de orientar, encontrar estratégia para se libertar dos aparelhos de comunicação e se for preciso irá receitar um medicamento que possa ajudar a superar. O especialista poderá indicar um psicólogo a fim de associar o tratamento com terapias individual e em grupo para reprogramar e disciplinar o cérebro. O professor de Educação Física irá trabalhar o postura adquerida durante a escravidão tecnológica. A coluna é a parte mais afetado, seguida vem a má circulação sanguínea e depois a visão. O tratamento não fica barato e quem depende do SUS (Sistema Única de Saúde Pública do Brasil) poderá aguardar um bom tempo para receber o tratamento.
Você que é empresário contataria um funcionário que é escravo da tecnologia? Caso a pessoa fosse contratada será que haveria produção, rendimento no trabalho e atendimento vip dos clientes? O empresário pode adotar uma regra do não uso do celular durante o trabalho, mas nada vale porque o celular continuará presente e funcionando na mente. Nessa viagem tecnológico mental o empregado irá vacilar constantemente, a percepção e a criatividade  reduzem. A ausência do celular pode ocasionar desiquilíbrio emocional e não consegue ter foco. Ao pegar o celular começa a viagem virtual e não consegue ver as excelentes oportunidades, torna cego e mudo com as pessoas que estão próximas.Vive num mundo solitário e ilusório.
Você namoraria ou casaria com uma pessoa escrava do celular? Se ambos forem escravos do celular o casamento logo acabaria e os filhos frutos desse relacionamento ficariam órfãos de pais vivos.
Alguém contraria um advogado para defender a sua causa judicial se fosse escrava do celular? Caso contratar poderá ter certeza que já perdeu a causa.



Autora: Rainna Tammy

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Consciência Negra?


Eu, como historiadora até o presente momento não entendi por que do título ‘Consciência Negra’. Será que afro brasileiro e os descendentes não tem Consciência brilhante? O preconceito começa na escolha de um título pejorativo que lembra opressão, dor, sofrimento, desigualdade social, escravidão do povo africano e seus descendentes.
A filosofia europeia acreditava que era raça superior, linhagem do povo primordial ariana e o negro africano e seus descendentes eram vistos como um povo de raça inferior, sem cultura, de memória curta, memória fraca, burro, fedorento, urubu, alma negra, consciência negra, ovelha negra, fantasma negra, coisa ruim, maldição negra, peste negra
Os objetos de cor preta tornaram negro nas ideologias europeia. Tudo que é melancólico, doloroso, triste era vista nuvem negra, uma família enlutada vestia de preto como símbolo de período negro que estava passando e até a varíola recebeu o nome de peste negra. A desvalorização da raça foi enorme a ponto de considerar como objeto. Quando um negro fugisse ou morresse fazia falta apenas no trabalhoO feitor exigia trabalho dobrado para substituir aquele preso teimoso e rebelde ou aquele que não suportou a crueldade. Os iluministas e os revolucionários radicais africanos contribuíram para fim da escravatura no Brasil.
O povo afro e seus descendentes devem ser honrado e glorificado pela luta de igualdade social com títulos de Militante Afro-brasileira da Nova Era.
Será que a cota nas faculdades dos Afro brasileiro e seus descendentes seria uma reivindicação justa? Onde estão os direitos de igualdade social? Ter a pele escura com mais melanina não significa incapacidade do QI e de consciência. Também não significa comodismo com tal situação, mas ser uma ativista ativa em pró de mundo melhor.
A conscientização de nossas raízes africanas no Brasil deve começar na educação familiar, religiosa e com encontros de conscientização social. A criança desde dos primeiros meses de vida deve conhecer a verdadeira história, aceitar a sua identidade, valorizar a cultura de suas raízes. Apesar, do grupo escolher um título pejorativo tem alcançado várias conquistas. O desafio e a superação de um povo que foi massacrado pelos grupos de dominantes (igrejas e família tradicional europeia) e sua história ocultas por muitos anos.


A sociedade dominante pregava que o povo africano era uma raça inferior, sem história, com QI inferior, irracional, descendente do macaco, povo maldito e tinha que ser batizado para não espalhar a maldição. Também tinha que fazer trabalho escravo a fim de purificar a alma preta e tornar católico sem entrar nas igrejas dos ricos. As tradições impostas foram como estupro de um povo, eliminando a sua história e a sua cultura.


A união do grupo ativista afro moderado na divulgação da cultura e na conscientização tem sido uma luta árduo e desafiadora. Algumas pessoas resistem essa mudança, mas no Brasil contém mais de 70% de pessoas de afro descendentes. Por esse motivo deve manter vivo a verdadeira história e a cultura africana. Como marco histórico de heroísmo temos o ativista Zumbi dos Palmares e outros heróis que estão ocultos que combateram a escravidão e tráfico negreiro.


A princesa Izabel foi forçada pelos ingleses a assinar um documento finalizando o tráfico negreiro e abolir a escravidão no Brasil (Lei Áurea  – 13/05/1888) para que as transações comerciais entre os países permanecessem. Mas a escravidão no Brasil permaneceu por vários anos mesmos com o fim império no Brasil, sendo que o Estado de Mato Grosso foi o último a abolir a escravidão.
O negro lutava para ser reconhecida como pessoa e nunca como objeto. Povo com grande história, povo que tinha um credo religioso como outros povos também. O grito da liberdade começou com a fuga para o quilombo, quilombola e resistindo a injustiça, crueldade dos dominantes com luta de ataque e defesa da capoeira. A persistência do culto aos deuses africanos e manter a sua cultura viva foram um dos focos dos ativistas afros radicais.


O Brasil quando foi invadida pelos espanhóis e mais tarde pelos portugueses que ao explorar a riqueza do ecossistema, exterminaram milhares de vidas de um povo nativo.  Para fazer trabalho pesado e servir de escudos humanos trouxeram diversos negros africanos de tribinagem diferenciados para trabalhar como escravo. Já que o primeiro povo a ser escravizado foram os nativos indígenas sobreviventes dos massacres se rebelaram contra a escravidão suicidando e com ataques.

 

Os europeus classificaram de povo selvagem e preguiçoso. A história do Brasil sempre foi mal contada mostrando heroísmo do povo europeu por descobrir terras que já eram habitadas. A cota de vagas nas faculdades para os afros não pagaria o massacre que suas as raízes sofreram e não apagaria a dor, os danos morais...
As Leis Constitucionais Brasileira devem ser justas e iguais para todos os cidadãos. Independente de credo religioso, etnia e posição social. As Leis devem ser respeitada e aplicada de forma igualitária. Um país miscigenado e aculturado tem que haver tolerância, respeito e o indivíduo deve aprender viver com as diferenças sociais.






Autora: Rainna Tammy